X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!
X

Horóscopo Virtual:

X

Resultados das Loterias:

Conteúdo em destaque:

Drakos Beer Pub
EAD Cruzeiro do Sul
Open Food Churrasco Premium
Tributo Raul Seixas 30 anos
Snet Telecom
Pães e Cucas em Garopaba
Clube do Assinante Impresso Catarinense
King Barbearia
Raancon Construtora

Toxina causa proibição de frutos do mar

Cultivos de ostras e mexilhões de Bombinhas e Porto Belo estão interditados devido à presença de toxina diarreica

Por RSC Portal 2 dia em Notícias

Toxina causa proibição de frutos do mar
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

A Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural  anuncia a interdição dos cultivos de ostras, vieiras, mexilhões e berbigões dos municípios de Bombinhas e de Porto Belo devido à presença de toxina diarreica. Está proibida a retirada, comercialização e o consumo destes animais e seus produtos, inclusive nos costões e beira de praia nas localidades de Zimbros, Canto Grande, Ilha João da Cunha, Araça e Perequê. 

A medida foi necessária após exames laboratoriais detectarem a presença de ácido ocadaico nos cultivos de moluscos bivalves da região. Quando consumida por seres humanos, essa substância pode ocasionar náuseas, dores abdominais, vômitos e diarreia.

O secretário da Agricultura Ricardo de Gouvêa explica que, assim que foi confirmado os locais de maré vermelha, a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) emitiu alertas para os maricultores dos municípios de Porto Belo e Bombinhas proibindo a retirada, comercialização e consumo de ostras, vieiras, mexilhões e berbigões. O aviso seguiu também para a Vigilância Sanitária e extensionistas rurais da Epagri.  

“Em Santa Catarina o monitoramento dos moluscos é constante e rotineiro. A maré vermelha é um processo natural. Seguiremos atualizando as informações e emitindo alertas até que a situação no litoral catarinense esteja normalizada”, explica o secretário. 

Na segunda-feira (5), a Cidasc fará novas coletas para monitoramento das áreas de produção de moluscos interditadas e arredores. Os resultados dessas análises definirão a liberação ou a manutenção da interdição das áreas afetadas. As áreas serão liberadas após dois resultados negativos e consecutivos para a presença de toxinas nos moluscos. 

Monitoramento constante

Santa Catarina é o maior produtor nacional de moluscos e o único estado do país que realiza o monitoramento permanente das áreas de cultivo. O Programa Estadual de Controle Higiênico Sanitário de Moluscos é um dos procedimentos de gestão e controle sanitário da cadeia produtiva, dando garantia e segurança para os produtores e consumidores. 

Foto: Mapa apresenta pontos de interdição dos cultivos de ostras, vieiras, mexilhões e berbigões

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Olá, deixe seu comentário para Toxina causa proibição de frutos do mar

Enviando Comentário Fechar :/