X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!
X

Horóscopo Virtual:

X

Resultados das Loterias:

Conteúdo em destaque:

Woodstock 2k
Tabacaria Cardoso
Pães e Cucas em Garopaba
Clube do Assinante Impresso Catarinense
Snet Telecom
King Barbearia
Raancon Construtora

Sete brasileiros nas oitavas do Mundial de Surf

Na etapa de Portugal, Italo Ferreira, Peterson Crisanto e Jessé Mendes foram os destaques da sexta-feira e Gabriel Medina e Filipe Toledo seguem na disputa fase a fase pelo título mundial

Por RSC Portal dia em Notícias

Sete brasileiros nas oitavas do Mundial de Surf
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Os brasileiros seguem fazendo uma ótima campanha no MEO Rip Curl Pro Portugal e sete passaram para as oitavas de final na sexta-feira de ondas de 4-6 pés, boas para tubos e aéreos em Supertubos. Foi voando que o paranaense Peterson Crisanto fez novos recordes contra o campeão da etapa da França, Jeremy Flores, nota 9,87 e 16,54 pontos. O potiguar Italo Ferreira defende o título em Portugal e foi quem chegou mais perto dessa marca, 16,20 pontos. Antes, o paulista Jessé Mendes tinha batido os recordes da primeira fase na repescagem e depois acabou com as chances de Owen Wright seguir na briga do título mundial. Já Medina e Filipe Toledo, seguem firmes na disputa pela ponta do ranking em Peniche e o também paulista Caio Ibelli e o cearense Michael Rodrigues, foram os outros brasileiros que passaram para disputar as oitavas de final em Portugal.

“Estou feliz por ter passado mais essa bateria aqui, mas é difícil surfar nesse tipo de mar”, disse Gabriel Medina. “Eu achava que iam rolar alguns tubos, mas eles simplesmente sumiram na nossa bateria. Foi até bom, porque o Miguel (Blanco) é realmente muito bom nos tubos. Toda bateria que eu entro, tá parecendo um freesurf, porque estou surfando bastante aqui. Não estou pensando em título mundial, nem em nada, só em surfar meu melhor em cada onda. Dei mais um passo agora, mas ainda tem muita coisa pra acontecer e seja o que Deus quiser”.

Foi com um aéreo full rotation numa esquerda em Supertubos, que Medina conseguiu sua maior nota na bateria contra o português Miguel Blanco. Ele valeu nota 7,00 e na sequência tirou 6,17 e 6,67 para selar a vitória por 13,67 a 8,33 pontos. O outro surfista português convidado para o MEO Rip Curl Pro, já tinha sido eliminado pelo vice-líder do ranking, Filipe Toledo. O brasileiro surfou um belo tubo nas direitas e também mandou um aéreo para ganhar, igualmente sem dificuldades, por 14,60 a 10,10 pontos de Vasco Ribeiro.

“Foi bem divertido lá fora, definitivamente as ondas estão bem melhores do que ontem (quinta-feira) e fui abençoado com aquele tubo na minha primeira onda”, disse Filipe Toledo. “Sinto que uma boa pontuação no início, faz uma enorme diferença durante a bateria. É sempre difícil enfrentar um convidado local. Lembro-me de 2015, quando o Vasco (Ribeiro) eliminou o Adriano (de Souza) e o Kikas (Frederico Morais) fez o mesmo com o Mick Fanning. E com o apoio dessa multidão para eles, fica ainda mais difícil, então eu estava muito focado em fazer bem o meu trabalho e deu tudo certo, felizmente”.

NOVOS RECORDES – Logo após a classificação dos principais concorrentes ao título mundial da temporada, Gabriel Medina e Filipe Toledo, vieram quatro vitórias brasileiras seguidas. A série iniciada por Medina, prosseguiu com o também paulista Caio Ibelli despachando o taitiano Michel Bourez por 12,97 e 11,57, para entrar no grupo dos 22 primeiros do ranking que são mantidos na elite do CT para o ano que vem. Depois, o paranaense Peterson Crisanto estabeleceu novos recordes no MEO Rip Curl Pro Portugal, acabando com as chances do francês Jeremy Flores seguir na disputa pelo título mundial da temporada.

O campeão do Quiksilver Pro France na semana passada, deixou o brasileiro nas cordas com as duas notas 7,50 conseguidas na primeira metade da bateria. O estreante na elite deste ano, precisava de duas ondas boas e pegou uma direita com bom tamanho, que formou a rampa para ele mandar um aéreo full rotation muito alto e conseguir uma aterrisagem perfeita, sem turbulências. Dois dos cinco juízes deram nota 10 para essa manobra do Peterson e a média ficou em 9,87, a maior do campeonato. Ele ainda tinha que surfar bem outra onda e escolheu uma que proporcionou três manobras para receber 6,67 e vencer por 16,54 pontos.

“Finalmente, eu consegui completar um grande aéreo que vinha tentando e acertei na hora certa”, disse Peterson Crisanto. “Depois disso, recuperei minha confiança e sabia que precisava esperar outra onda boa, então estou feliz em passar para a próxima fase. Eu fiquei muito nervoso depois que o Jeremy (Flores) conseguiu aqueles dois 7,5 e sabia que teria que ir para os aéreos, para conseguir uma nota alta. Essa é a época chave da temporada, ou você arrisca ou vai pra casa, então vou dar tudo na água para buscar um bom resultado aqui”.

Logo após a melhor apresentação do MEO Rip Curl Pro Portugal, o paulista Jessé Mendes também tirou mais um concorrente ao título mundial da briga, o australiano Owen Wright. Jessé tinha brilhado pela manhã na repescagem, sendo o primeiro a bater o recorde de pontos de Gabriel Medina na primeira fase. Ele começou bem o dia, ganhando nota 8,00 na primeira onda que surfou na sexta-feira e depois somou um 7,90 para atingir 15,90 pontos contra o português Frederico Morais e o australiano Ryan Callinan. Jessé não repetiu essa ótima atuação, mas fez o suficiente para despachar Owen Wright por 11,20 a 10,93 pontos.

DEFENSOR DO TÍTULO – Na disputa seguinte, o defensor do título do MEO Rip Curl Pro Portugal, fechou a série de cinco vitórias brasileiras seguidas na sexta-feira em Supertubos. O potiguar Italo Ferreira também acertou os aéreos para ser o segundo surfista a ultrapassar a barreira dos 16 pontos esse ano em Peniche. Com notas 8,33 e 7,87, ganhou fácil do português Frederico Morais por 16,20 a 10,33 pontos e segue na disputa pelo título mundial e pela segunda vaga do Brasil para as Olimpíadas de Tokyo 2020 no Japão.

A vitória de Italo Ferreira foi a última classificação do Brasil para as oitavas de final. O potiguar vai enfrentar o norte-americano Conner Coffin, que na bateria seguinte derrotou o catarinense Willian Cardoso por 13,64 a 9,60. Com isso, ficaram sete brasileiros para disputar classificação vagas nas quartas de final. São tantos, que dois duelos serão 100% verde-amarelos. O primeiro a competir será o cearense Michael Rodrigues na segunda bateria, contra o californiano Kolohe Andino. Michael já venceu um confronto brasileiro com o paulista Deivid Silva na sexta-feira em Portugal.

Na terceira, o vice-líder do ranking, Filipe Toledo, enfrenta ao australiano Wade Carmichael, que passou pelo catarinense Yago Dora na terceira fase. Depois, vem a primeira bateria brasileira, entre o líder Gabriel Medina e Caio Ibelli. E o confronto seguinte será entre dois surfistas que tentam entrar no grupo dos top-22 que são mantidos na elite, o novo recordista absoluto nas ondas de Supertubos, Peterson Crisanto, e Jessé Mendes. Italo Ferreira entra logo após essas duas baterias brasileiras, na sétima com Conner Coffin.

O MEO Rip Curl Pro Portugal está sendo transmitido ao vivo de Peniche pelo www.worldsurfleague.com e pelo Facebook Live e pelo aplicativo da World Surf League. No Brasil, os canais ESPN também vão passar toda a competição ao vivo de Portugal, onde o fuso horário é de 4 horas a mais do Brasil. A primeira chamada do sábado foi marcada para as 7h30 em Peniche, 3h30 da madrugada no Brasil.  

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Olá, deixe seu comentário para Sete brasileiros nas oitavas do Mundial de Surf

Enviando Comentário Fechar :/