X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!
X

Horóscopo Virtual:

X

Resultados das Loterias:

Conteúdo em destaque:

Barbearia Vip Imbituba
Frutos de Goiás Imbituba
Z12 Sushi Imbituba
O Guaraná oficial de Imbituba
Tabacaria Cardoso
Dedetizadora D.D. Sul

Legislativo discutirá atendimento de pessoa com fissura labiopalatina

O evento será realizado através da Comissão de Saúde, amanhã, sexta-feira (01)

Por Redação do RSC dia em Notícias

Legislativo discutirá atendimento de pessoa com fissura labiopalatina
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Foto: Maos / iStockphoto / Agência Senado

O tratamento e as condições que envolvem as crianças com fissura labiopalatina serão debatidos durante audiência pública na Assembleia Legislativa. O evento, que será realizado através da Comissão de Saúde, amanhã, sexta-feira (01), é uma proposição do deputado Neodi Saretta.

Recentemente, Saretta, que também é o presidente da Comissão de Saúde, cobrou do Estado que seja ampliado o número de autorizações para cirurgias de correção, que hoje é de apenas 20 ao mês. A demanda é de cerca de 50 pacientes, já que atende crianças de todo o estado. “Existe a necessidade de aumento do número de consultas e de atendimentos. Há, inclusive, uma angústia das entidades que atuam na defesa dos interesses destas pessoas. Por isso faremos a audiência para verificar quais os serviços, o fluxo e o aporte financeiro destinado para a população que precisa do serviço”, disse o deputado.

Em Santa Catarina, o atendimento aos pacientes acontece, basicamente, em Joinville. A audiência pública que irá discutir "O Tratamento das Pessoas com Fissura Labiopalatina em Santa Catarina” vai acontecer dia 1º de outubro, às 9 horas, no Plenário da Assembleia Legislativa de Santa Catarina.

O que é fissura labiopalatina?

A maioria dos estudos considera as fissuras labiopalatinas como defeitos de não fusão de estruturas embrionárias. Ou seja, tanto o lábio como palato (“céu da boca”) são formados por estruturas que, nas primeiras semanas de vida, estão separadas.

Estas estruturas devem se unir para que ocorra a formação normal da face. Se, no entanto, esta fusão não acontece, as estruturas permanecem separadas, dando origem às fissuras no lábio e/ou no palato.

As fissuras faciais são estabelecidas na vida intrauterina, no período embrionário (ou seja, até a 12a. semana de gestação), e apresentam grande diversidade de forma pela variabilidade na amplitude e pelas estruturas afetadas no rosto. 

*Com informações de Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais/HSP

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Olá, deixe seu comentário para Legislativo discutirá atendimento de pessoa com fissura labiopalatina

Enviando Comentário Fechar :/