X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!
X

Horóscopo Virtual:

X

Resultados das Loterias:

Conteúdo em destaque:

Z12 Sushi Imbituba
Dedetizadora D.D. Sul
VELOX - SOLUÇÕES FINANCEIRAS
Frutos de Goiás Imbituba
Barbearia Vip Imbituba
MC CELULARES
Tabacaria Cardoso
Snet Telecom

Em novo GP marcado por protestos, Hamilton vence com tranquilidade

Verstapen e Bottas protagonizaram uma disputa pelo segundo lugar foi emocionante nas últimas voltas do circuito de Spilberg

Por RSC Portal dia em Notícias

Em novo GP marcado por protestos, Hamilton vence com tranquilidade
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Por: FOLHAPRESS

 

Em mais uma etapa marcada por protestos antirracistas, o piloto inglês Lewis Hamilton, da equipe Mercedes, venceu neste domingo (12) o GP da Estíria, na Áustria. O finlandês Valtteri Bottas, da Mercedes, e o holandês Max Verstapen, da Red Bull, completaram o pódio.

Enquanto Hamilton dominou a prova do começo ao fim, Verstapen e Bottas protagonizaram uma disputa emocionante nas últimas voltas do circuito de Spilberg. No fim, Bottas levou a melhor para garantir a dobradinha da Mercedes.

 
O inglês Lando Norris, 20, da McLaren, teve grande desempenho na reta final da corrida e ultrapassou os dois pilotos da Racing Point para conquistar a quinta posição. Ele havia sido o terceiro colocado no GP de estreia da temporada, no domingo (5) passado, no mesmo autódromo.

Hamilton, que aos 35 anos persegue o seu sétimo título, havia sido punido na primeira prova e festejou a conquista neste domingo com alívio. "Sou muito grato por voltar a vencer, parece que faz muito tempo", afirmou o inglês da Marcedes. Agora, ele está a seis triunfos de igualar os 91 do alemão Michael Schumacher, detentor desse recorde.

O GP também foi marcado por uma batida entre os dois pilotos da Ferrari, Sebastian Vettel e Charles Leclerc, que abandonaram a segunda corrida da temporada logo na sua segunda curva.

A roda traseira de Leclerc colidiu com a asa traseira do carro de seu companheiro de equipe, que levou a pior e abandonou a prova logo em seguida. O monegasco tentou continuar, mas também teve de desistir na sequência.
 
O clima ruim foi abafado pelas declarações dos dois pilotos, principalmente a do monegasco, que pediu desculpas. "A culpa foi minha, sou o único culpado, Seb não teve culpa. Fico chateado porque a equipe trabalhou bastante e eu joguei todo esse esforço no lixo. Pedi desculpas para ele [Vettel]", afirmou Leclerc em entrevista à Rede Globo.

Assim como no GP de estreia, houve novo protesto antirracista. Dos 16 pilotos que foram mostrados no grid, 4 ficaram em pé: o holandês Max Verstappen, da Red Bull, o monegasco Charles Leclerc, da Ferrari, o finlandês Kimi Raikkonen, da Alfa Romeo, e o russo Daniil Kvyat, da AlphaTauri.

O gesto tem se repetido em várias manifestações pelo mundo desencadeadas pela morte do americano George Floyd, um homem negro que morreu assassinado por um policial branco que se ajoelhou sobre o seu pescoço em Minneapolis, nos EUA, no dia 25 de maio.

Todos os pilotos usavam camisetas pretas com a inscrição "End racism" ("encerre o racismo"), com exceção de Lewis Hamilton, que vestiu uma camiseta preta com o texto "Black Lives Matter" ("vidas negras importam").

Na primeira prova da temporada, que começou somente no último domingo devido à pandemia de Covid-19, seis pilotos não se ajoelharam, o que gerou descontentamento por parte de Lewis Hamilton, que lidera os protestos na F-1.

Naquela ocasião, Verstappen, Leclrerc, Raikkonen e Kvyat também não se ajoelharam, assim como o italiano Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo) e o espanhol Carlos Sainz (McLaren).
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Olá, deixe seu comentário para Em novo GP marcado por protestos, Hamilton vence com tranquilidade

Enviando Comentário Fechar :/