X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!
X

Horóscopo Virtual:

X

Resultados das Loterias:

Conteúdo em destaque:

Frutos de Goiás Imbituba
Barbearia Vip Imbituba
MC CELULARES
Z12 Sushi Imbituba
Tabacaria Cardoso
O Guaraná oficial de Imbituba
Carla Carvalho Studio Pilates e Suspensão
Clinica Odontológica Integrada
PAES E CUCAS
Mini Calzone Garopaba
Snet Telecom
Dedetizadora D.D. Sul

Descarte incorreto de medicamentos contribui com poluição ambiental

Por Redação do RSC dia em Notícias

Descarte incorreto de medicamentos contribui com poluição ambiental
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Desde 2010, o Brasil possui a Lei nº 12.305, que instituiu a Política Nacional de resíduos sólidos. Entre as medidas que ela prevê, existe a logística reversa que responsabiliza os estabelecimentos que fornecem um produto de também o recolher para o descarte correto. E essa prática só funciona quando a responsabilidade é compartilhada e cumprida por cada pessoa envolvida no processo.

"O uso irracional de medicamentos, a falta de venda fracionada, a distribuição de amostras grátis por parte dos laboratórios, a automedicação e o abandono do tratamento contribuem de forma significativa para o acúmulo de grande quantidade de medicamentos sem utilidade nos domicílios, que posteriormente podem ser descartados em lugares inadequados”, alerta a professora da Unisul, Simony Davet Müller que é doutora em Farmácia.

O perigo do descarte incorreto

A farmacêutica Simony destaca que “os medicamentos são classificados como resíduos do grupo B, que englobam substâncias químicas que podem apresentar risco à saúde pública ou ao meio ambiente, dependendo de suas características de inflamabilidade, corrosividade, reatividade e toxicidade”.

Ainda de acordo com a profissional, deve-se considerar os riscos que os resíduos medicamentosos causam ao meio ambiente. “Os perigos são, em primeiro lugar, o grau de toxidade e, em segundo, a sua concentração nos ecossistemas, que está relacionado com o tempo de permanência do resíduo no ambiente devido à sua resistência à degradação química e biológica associada aos processos naturais”, descreve Simony.

Onde descartar?

Os locais considerados adequados para realizar a entrega ou destinação de medicamentos não utilizados ou vencidos são: redes de farmácias, postos de saúde, hospitais e supermercados que tenham convênios com empresas que realizam a coleta dos resíduos sólidos de saúde, dando a eles o tratamento e disposição final ambientalmente adequada. E essas medidas evitam que esses resíduos sejam jogados no lixo comum, rede esgoto ou poluam o meio ambiente.

O que você pode fazer

Simony finaliza explicando que o uso racional de medicamentos e o descarte adequado não é uma atitude isolada e sim uma ação conjunta. “Ela deverá ser exercida com a participação de Governo, pacientes, cuidadores, familiares, profissionais de saúde, legisladores, formuladores de políticas públicas, indústrias e comércio; cada um exercendo adequadamente as funções de sua competência no processo global”, acrescenta. Então, cabe a cada um fazer a sua parte consumindo e desperdiçando menos medicamentos, descartando, quando necessário, de maneira correta.

Foto: dhspompeia

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Olá, deixe seu comentário para Descarte incorreto de medicamentos contribui com poluição ambiental

Enviando Comentário Fechar :/