X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!
X

Horóscopo Virtual:

X

Resultados das Loterias:

Conteúdo em destaque:

Drakos Beer Pub
Open Food Churrasco Premium
Tributo Raul Seixas 30 anos
Snet Telecom
Pães e Cucas em Garopaba
Clube do Assinante Impresso Catarinense
King Barbearia
Raancon Construtora

Cálculo para cobrança da taxa de lixo deve passar por novo estudo

Em reunião na ACIM, empresários e governo municipal discutiram a possibilidade de uma alíquota que considere o segmento de atividade das empresas, além do metro quadrado

Por RSC Portal dia em Notícias

Cálculo para cobrança da taxa de lixo deve passar por novo estudo
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

O Café com o Prefeito, reunião periódica entre a Associação Empresarial de Imbituba (ACIM) e
o chefe do executivo municipal, teve como principal tema a discussão sobre o reajuste da taxa
de lixo. A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), participou do encontro representando os
empresários do comércio local. O encontro foi realizado no auditório da ACIM, nesta terça-
feira, 13.

O prefeito Rosenvaldo da Silva Júnior apresentou os dados que foram levados para a audiência
pública, os quais explicam as questões problemáticas do recolhimento e destinação do lixo em
Imbituba. “Em resumo, mesmo com o reajuste e se recebêssemos 100% dos contribuintes,
ainda não seria suficiente para cobrir o que pagamos. Isso se deve há anos de déficit com uma
taxa irrisória, a problemas no sistema que cruza os dados para a cobrança e também à
inadimplência. O reajuste maior para as empresas foi decidido com base na proporção de lixo
que uma empresa produz, geralmente muito mais do que uma residência e ainda gera renda”,
detalha.          

Na discussão, foi destacado que a diferenciação da alíquota apenas leva em conta o metro
quadrado do empreendimento, sem considerar sua atividade. Por exemplo, um escritório de
150 metros quadrados recebe a mesma cobrança que uma lanchonete de tamanho igual. “É
um tema que precisa ser revisto, pois é claro que a atividade exercida pela empresa faz
diferença na produção do lixo. Assim, nos colocamos à disposição do Município para montar
uma comissão para revisar a forma como é feito o cálculo, pois se a prefeitura paga por
tonelada pelo recolhimento precisamos dividir melhor este custo, para que todos paguem
proporcionalmente. Afinal, já pagamos todos os impostos devidos e um reajuste de 130% pesa
muito no orçamento das empresas, independentemente de ser um valor que estivesse
defasado”, destaca Adilson Silvestre, presidente da ACIM.

A decisão foi a de montar uma comissão para discutir a adequação do cálculo da alíquota, para
o ajuste da cobrança em 2020. Os valores de 2019 permanecem iguais, afinal a Lei foi
aprovada na Câmara, e devem ser pagos até o mês de novembro. A conversa ainda incluiu a
importância da conscientização da população sobre a produção do lixo, questões ecológicas e
ambientais e a possibilidade de ser aberto um Procedimento de Manifestação de Interesse
para projetos de gerenciamento e manutenção do sistema de lixo e iluminação da cidade,
seguido de licitação.

Foto: Divulgação

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Olá, deixe seu comentário para Cálculo para cobrança da taxa de lixo deve passar por novo estudo

Enviando Comentário Fechar :/